Assim como a grande maioria das doenças humanas, os problemas auditivos têm seus tratamentos facilitados de acordo com a velocidade com que são diagnosticados.

Sabedora dessa dinâmica, a comunidade da Otorrinolaringologia desenvolveu ao longo dos anos uma vasta gama de exames destinados a detectar os possíveis tipos de problemas auditivos enfrentados pelo indivíduo, bem como seu grau de gravidade.

Neste texto, a Sonivoxx separou alguns dos principais exames auditivos disponíveis na atualidade, a fim de explicar seus funcionamentos e finalidades:

Audiometria de alta frequência – teste realizado em uma cabine acústica com fones de ouvido especiais para emitir sons de alta frequência, é utilizado para detectar alteração auditiva precoce, bem como monitorar indivíduos submetidos a tratamento com drogas ototóxicas.

Audiometria tonal limiar convencional – teste realizado em uma cabine acústica com fones de ouvido, tem por finalidade medir o nível mínimo de intensidade sonora percebida a fim de detectar o grau e o tipo de surdez.

Audiometria Vocal – realizado também em cabine acústica com fones de ouvido, esse teste avalia a capacidade do indivíduo detectar e entender os sons da fala.

Imitanciometria

1) Timpanometria: realizado com o uso de uma sonda revestida por borracha que, inserida no canal auditivo ao mesmo tempo em que o paciente ouve um som, analisa a pressão da orelha média a fim de diagnosticar alterações do tímpano e ossículos do ouvido.

2) Reflexo acústico: utilizando a mesma sonda, utiliza sons semelhantes aos da audiometria tonal buscando registrar resposta ou ausência de reflexo ao som emitido. É usado no diagnóstico de otosclerose, alterações dos nervos facial, auditivo – entre outros.

Nesta página citamos mais sobre protocolos e exames auditivos, leia ou entre em contato para tirar suas dúvidas.