Sabemos que um ser humano saudável possui cinco sentidos: paladar, olfato, visão, audição e tato. É preciso compreender, portanto, que a perda ou a diminuição da capacidade de qualquer um deles deve ser vista como um problema de saúde com necessidade de tratamento médico.

Parece óbvio. Mas, na prática, não é assim que funciona…

De acordo com reportagem publicada pelo jornal Diário do Nordeste, apenas 40% das pessoas que convivem com perda auditiva reconhecem que ouvem mal.

Isso acontece pelo preconceito que algumas pessoas possuem em relação ao uso de aparelhos auditivos, questão não observada, por exemplo, quanto ao uso de óculos de grau que – em suma – se destinam à mesma finalidade: solucionar um problema sensorial.

Tal cenário de preconceito e aceitação do problema auditivo pode gerar diversos problemas para essas pessoas.

Um deles é o chamado isolamento social que tende a se tornar cada vez maior à medida que o indivíduo começa a sentir cada vez mais dificuldades nas atividades de comunicação – primeiro com a comunidade em que vive, depois com os familiares.

Os problemas, infelizmente, não param por aí. Segundo estudo realizado por pesquisadores da universidade Americana Johns Hopkins, existe uma correção direta entre a perda de audição não tratada com outros problemas de saúde: sejam eles de ordem física, emocional ou mental – sobretudo na terceira idade.

Em um resultado traduzido em números, os acadêmicos constaram que 32% dos idosos com perda auditiva não tratada haviam sido hospitalizados no período de amostragem – bem como 36% apresentavam maior probabilidade de sofrer com danos e doenças nos dez anos seguintes.

O dado mais alarmante, no entanto, esteve relacionado a doenças emocionais – área na qual foi constatado que o grupo de idosos analisado era 57% mais suscetível a sofrer com mau humor, stress profundo ou depressão.

Para evitar tais dificuldades, procure um médico otorrinolaringologista para avaliar sua audição e se houver indicação de uso de aparelho auditivo conte com a Sonivoxx!