Um sistema implante coclear (IC) recupera o sentido da audição em indivíduos com perda auditiva neurossensorial severa a profunda. 

O avanço científico e tecnológico da medicina tem propiciado a oferta da recuperação da qualidade de vida para seres humanos com limitações físicas por meio de soluções outrora inimagináveis.

No âmbito da otorrinolaringologia, por exemplo, o desenvolvimento de aparelhos auditivos de alta tecnologia capazes de reconectar o paciente com o mundo sem que haja incômodos estéticos ou práticos – como ruídos e interferências.

Para casos de surdez profunda, no entanto, a medicina oferece os chamados ‘implantes cocleares‘ que – colocados no paciente por meio de cirurgia com o objetivo de substituir as funções das células de seu ouvido interno, desviam sinais das partes danificadas do ouvido e enviam as informações sonoras diretamente ao nervo auditivo como sinais elétricos.

O implante coclear é composto de dois sistemas principais – um interno e outro externo. O primeiro, composto por um receptor e um arranjo de eletrodos que fica posicionado dentro da cóclea, funciona normalmente por rádio frequência. O segundo, é composto por um processador de fala, uma antena promissora e um microfone.

Esse método tem revolucionado a vida de pacientes que sofriam com um grau de surdez extremamente limitador – devolvendo a eles a independência e o prazer da comunicação com amigos e familiares.